Entenda como o iPad pode ficar fora do Brasil

no i

“Este é um produto que eu aguardo há 20 anos”, revela o Professor universitário André Holanda, que adquiriu um “iPad” da americana Apple, recentemente. O tablet causou furor ao redor do mundo e fez o mercado de tecnologia repensar suas perspectivas para os próximos anos, entretanto, o produto pode ficar longe do consumidor brasileiro.

Sim, o produto corre o risco de não ser comercializado no Brasil. O motivo? Problemas com a marca “iPad”, já registrada no país pela Transform Tecnologia, uma empresa nacional. A companhia trabalha com produtos da área médica-cardiológica, equipamentos para área veterinária e Informática. E o Diretor Presidente da Transform, Mário Michellett, em entrevista exclusiva para a Lupa, revelou que a empresa havia pedido a patente da marca “ipad” há três anos, mas que somente em dezembro de 2009 teve sua solicitação aprovada pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). O produto patenteado pela Transform Tecnologia é um desfibrilador automático, denominado de “IPAD FAST”. “Para a Transform, “IPAD”, significa : “intelligent Public Acesss Defibrilator” ou seja ” Desfibrilador Inteligente de Acesso Publico””, afirma Michellett.

Michellet: "Esse desfibrilador foi desenvolvido para que pessoas menos preparadas possam fazer uso. Portanto é um desfibrilador inteligente e que interage com quem esta socorrendo, emitindo várias instruções "falando em português"".
Michellet: “Esse desfibrilador foi desenvolvido para que pessoas menos preparadas possam fazer uso. Portanto é um desfibrilador inteligente e que interage com quem esta socorrendo, emitindo várias instruções “falando em português”".

Para Pedro Zambarba , especialista em produtos da Apple e colaborador do portal PontoMac, não há nenhum outro problema com o produto da Apple, fora a sua identidade. “A Apple pode simplesmente optar por não lançar um produto que não tenha o nome original, o que realmente ocasionaria um problema”, opina. Outro motivo de preocupação para Pedro Zambarba é a falta de qualidade dos concorrentes do “iPad” que devem se estabelecer no mercado Brasileiro, nos próximos meses, por causa deste problema. “Mas, a falta de um gadget feito pela equipe de Steve Jobs pode nos impedir de ter uma experiência com tecnologia de ponta”, completa.

Pedro Zambarba, a Apple tem uma alternativa que não passa necessariamente por tirar os direitos do proprietário no Brasil, mas negociar um uso parcial da marca. Contudo, segundo Mário Michellett só há duas formas da Apple fazer uso de nossa marca “ipad” no Brasil. “Uma seria adquirindo a Transform e ai a Apple teria direito de todas as marcas e patentes da empresa, outra seria a Transform cancelar o registro da marca iPad e ai sim, a Apple poderia providenciar um novo registro da marca”, revela. Coisa que muito provavelmente não deve acontecer, haja vista a Transform ter direito a marca por 10 anos, a contar da data da aprovação oficial, ou seja, a partir de 2009. Além do mais, a empresa tem a preferência na renovação da patente do produto por igual período. “Sim, a Transform pretende renovar a patente quando for o momento certo”, revela Michellet.

Contudo, o Professor André Holanda não acha que este seja um grande problema para quem realmente quer contar com o “iPad” da Apple. “Trágico não seria, até porque é mais barato comprar no exterior do que aqui”, revela.

Satisfação com o iPad – Para André Holanda, a satisfação do usuário, com o tablet, depende da adequação às suas necessidades. “Para alunos e professores, para quem quer mobilidade para ler ou navegar na internet deitado no sofá da sala é perfeito”, revela. Pedro Zambarba coaduna com o que pensa Holanda e conta que na empresa em que trabalha, “o iPad é um excelente aparelho para conectar e verificar páginas na web rapidamente, além de compartilhar vídeos com colegas sem depender de um micro”.Todavia, André Holanda pondera, com sua experiência de usuário, que para digitar textos no “iPad” é complicado e para guardar arquivos é mais lento do que o pen-drive. Holanda crê que o “iPad” é mais um dispositivo que não vem para substituir os computadores de mesa e notebooks. “Como sempre é a necessidade e o desejo do comprador que definem a utilidade do aparelho”, sentencia.

2 Comentários para “ Entenda como o iPad pode ficar fora do Brasil ”

  1. sandburg@battered.karns” rel=”nofollow”>.…

    ñïàñèáî çà èíôó!…

  2. trusted@pillspot.com” rel=”nofollow”>.…

    thanks!!…

Deixe um Comentário

Pode usar estas tags XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>