Sobreviva como um calango no semiárido baiano

Laís Ferreira

lagarto-anim2

Da mistura entre tecnologia e dados científicos sobre a região das Dunas do Médio São Francisco, na Bahia, surgiu o jogo de simulação e ação em 3D “Calangos”. O game, lançado no mês de março, em mais uma edição do Café Científico Salvador, tem como objetivo não só possibilitar o entretenimento do jogador, como também garantir o aprendizado do mesmo, já que para permanecer “vivo”, é preciso ter algum conhecimento sobre ecologia e evolução.

Financiado pelo edital da FINEP, Financiadora de Estudos e Projetos, o jogo foi desenvolvido pelos professores Charbel Niño El-Hani, da UFBA, Angelo Conrado Loula, da UEFS, e Leandro Nunes de Castro Silva, da Mackenzie, que, juntamente com uma equipe de pesquisadores e estudantes universitários, criaram em 3D uma simulação da vida de três espécies de calangos do semiárido baiano.

Na simulação, o jogador, que pode assumir o papel de uma das três espécies endêmicas de lagartos, precisa passar por quatro fases. Na primeira, basicamente, o estudante-jogador vai usar de ação e estratégia para que seu lagarto consiga sobreviver, desenvolver-se e reproduzir-se. Na segunda, o jogador deverá construir um lagarto a partir de um gerador de características, podendo trabalhar, assim, a relação entre morfologia, biomecânica e sucesso na sobrevivência e reprodução. Na terceira, o jogador passará do nível do organismo individual para o nível das populações, fazendo com que ele controle, ao mesmo tempo, uma população inteira de lagartos. Já na quarta e última fase, o jogador poderá vivenciar a evolução das espécies. Para isso, ele precisará não só manter os números de uma população de lagartos, mas lidar com sua evolução ao longo de várias gerações.

Segundo dois dos coordenadores do projeto, Charbel El-Hani e Angelo Loula, apesar de já ter sido lançado, Calangos ainda está em processo de criação, podendo receber sugestões daqueles que o jogarem. “Ainda falta acrescentar sonorização e alguns efeitos especiais. O jogo ainda não está finalizado”, explica Loula.

Juntamente com o lançamento do jogo, ocorreu também a exibição de um documentário, que ainda não tem nome, sobre a pesquisa realizada nas Dunas do São Francisco. No documentário, é mostrado um pouco do que foi o trabalho de pré-produção realizado por pesquisadores como Pedro Rocha, da UFBA, para colher informações sobre fauna e flora da região. Afinal, mais do que uma ferramenta de entretenimento, o game é educacional.

Por se tratar de um software livre, o jogo pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído sem restrição. Para quem se interessou, Calangos já está disponível para download. Está esperando o que para baixar?

Um Comentário para “ Sobreviva como um calango no semiárido baiano ”

  1. crafted@goitrogens.keyhole” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó!!…

Deixe um Comentário

Pode usar estas tags XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>