O outro farol

Foto: Heloisa Lupinacci

O Farol de Humaitá, situado numa das pontas da península itapagipana, denominada de Ponta de Humaitá, no bairro de Monte Serrat, em Salvador, foi o terceiro e último farol a ser construído nesta cidade. Ao contrário do Farol da Barra, construído em 1698, e do Farol de Itapuã, 1873, ambos com mais de um século de existência, o Farol de Humaitá tem pouco mais de 70 anos de construído. A sua inauguração, segundo uma placa fixada ao lado do farol pela Marinha do Brasil, data do ano de 1935.

A palavra Humaitá, em tupi-guarani, tem significado de frase: “a pedra agora é preta”. Uma alusão ao local onde foi construído todo o complexo da Ponta de Humaitá. Um grande terreno composto de rocha de cor enegrecida que avança em direção ao mar. 
O terceiro farol, como também pode ser chamado o Farol de Humaitá, embora tenha sido construído bem mais tarde que os demais, foi idealizado com a mesma finalidade de orientação marítima dos outros dois. No entanto, ele é o único situado dentro da Baia de Todos os Santos. Talvez por isso, ele seja o mais baixo dos três, já que o seu campo de atuação é bem menor do que o dos outros faróis da cidade. 

farol na água

O Farol de Humaitá é o único dos três faróis que está situado dentro das águas do mar. Enquanto o Farol da Barra ocupa o terraço do Forte de Santo Antônio da Barra e o Farol de Itapuã, foi instalado sobre uma rampa construída especialmente para abrigá-lo, o Farol de Humaitá foi construído nas margens da praia de Monte Serrat, ao lado da balaustrada que circunda toda a Ponta de Humaitá. Com isto, quando a maré sobe, parte da estrutura do farol fica submersa. 

Atualmente, o farol está sob a guarda do Parque Regional de Manutenção do Exército e faz parte do complexo arquitetônico da Ponta de Humaitá. Este complexo é constituído ainda: pelo Forte de Monte Serrat, construído em 1583; pela Igreja de Nossa Senhora de Monte Serrat, construída originariamente em 1580; pelo Mosteiro de Monte Serrat, de 1679; pela Residência dos Padres, construída em 1619, onde morou por alguns anos o Padre Antônio Vieira; e pelo atracadouro do antigo Iate Clube de Monte Serrat. 

farol e igreja ok

O local é dono de uma beleza singular. E é destino certo para quem busca um passeio recheado de belas paisagens e de muita tranqüilidade. A conformação geográfica do lugar, o afasta da movimentação da cidade vinculando-o muito mais ao mar do que a terra.

aéreaO cenário é perfeito para os casais de namorados que, ao som das ondas que batem na murada ao entorno da Ponta de Humaitá, trocam carinhos e juras de amor. De lá, se é possível contemplar quase todo o litoral da cidade voltado para a Baia de Todos os Santos e ainda curtir o mais belo pôr-do-sol de Salvador.

 “Da ponta de Humaitá
Esqueço meus problemas vendo o sol se pôr no mar”

Os versos da cançao “Cidade Baixa”, da Irmandade Brasmorra, retratam muito bem a magia que paira no local.

Abaixo, uma visão aérea do triângulo formado pelos três faróis, no mapa da cidade de Salvador.

Triângulo formado pelo posicionamento dos três faróis.

Triângulo formado pelo posicionamento dos três faróis: Barra, Itapuã e Humaitá.

Um Comentário para “ O outro farol ”

  1. proud@searchlight.reinforcements” rel=”nofollow”>.…

    ñýíêñ çà èíôó….

Deixe um Comentário

Pode usar estas tags XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>