Kuduro, da periferia de Luanda para Salvador

Ao ritmo de Kuduro, no Sankofa African Bar

Ao ritmo de Kuduro, no Sankofa African Bar

O sentido da expressão Kuduro poderá ser melhor explicado por um Angolano, mas, ao que tudo indica, significa o que parece: Kuduro =  Bunda imóvel, sem rebolar, o que, considerando-se que um dos movimentos fundamentais da dança angolana é o sofisticado rebolado, dos homens inclusive, é muito significativo. Algo como uma dança diferente, supostamente ‘moderna’, no âmbito das danças tradicionais que são,  extremamente, rebolativas.

Ku, palavra e não palavrão, parece vir do mais puro vernáculo do Kimbundo (MataKu = nádegas, assento plural de ritaku), principal língua falada em Luanda, Angola. O sentido figurado da palavra é, exatamente, o mesmo usado no Brasil: Bunda palavra, aliás, oriunda também do  mesmo Kimbundo, literalmente traduzida para o português também como nádegas.
Kuduro no Brasil
Ex-jogador de futebol, o gaúcho Álvaro di Amaro é o primeiro artista a trabalhar de forma consistente o kuduro no Brasil. Desde 2003, DJ Panafricano esforça-se em difundir o gênero  musical. Álvaro foi zagueiro, jogou no Brasil de Pelotas e veio para a Bahia há cerca de doze anos por causa do futebol. Daquela época, restam o porte atlético e o inseparável par de chuteiras, que sempre leva para a pista de dança.

Hoje, o DJ, que também comanda pick-ups em diversos outros ritmos africanos, como Dekalé, Soukus e Kizomba é responsável pela única academia de Kuduro da Bahia e colabora com o programa RÁDIO ÁFRICA, na Educadora FM, rádio pública do governo estadual.

Com muita modéstia, nós somos os pioneiros em tentar explicar o canto, a dança, a coreografia e fazer com que as pessoas descubram o kuduro que está dentro de você. Do garoto de cinco anos à senhora que está passando aqui, de setenta e poucos”, diz DJ Panafricano.

Assita o Vídeo: cantor angolano Dog Murras (Salale)

Audio:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Academia do Kuduro Baiano
A única academia de Kuduro da Bahia funciona num galpão cedido pelos donos do Espaço do Gelo Imperador, Carlos Jr, e Dona Cláudia, no bairro de Marés, no subúrbio de Salvador. Está aberta todo sábado, às 15 horas, e tem entrada gratuita.

“Uns acham que aqui é centro, outros acham que é subúrbio. Não importa, é Kuduro”, comenta o DJ.
O lado brincalhão do Kuduro é uma de suas características mais envolventes. A própria dança pede para não ser levada a sério. “Kuduro é uma forma de reverenciar a brincadeira. De você brincar, sorrir, perder a vergonha de tudo”, diz o DJ Makanaki, kudurista há um ano. Kuduro é chamou, dançou. Não tem essa coisa de parar para ensinar isso não. É fácil, né? Pegou ali na hora, faz. A rapaziada toda faz, conta Black, que dança Kuduro há nove meses. Joelene dança Kuduro há pouco mais de um mês. Foi levada para a academia pela mãe. “Vim e gostei. É uma coisa diferente, ninguém conhece!”, conta. Esse projeto entrou no final do ano passado aqui. No começo, eu não sabia de nada, achei até estranho. Mas eu fui me envolvendo e hoje eu me considero uma kudurista! Essa é uma academia para as meninas que querem queimar calorias. Eu era gordinha, já estou bem light. Queima mesmo! – diz Dona Cláudia.

Inserido no âmbito da cultura Hip Hop, o Kuduro é uma dança de rua como todos os outros gêneros assemelhados, o Funk carioca e o Kwaito da África do Sul, é a resposta africana à influência da indústria cultural de massa capitalista, cujo eixo como se sabe, localiza-se, desde o fim da segunda guerra mundial, na América do Norte.

Mas o Kuduro também é um símbolo dos mais fortes, neste momento, da enorme capacidade da resistência cultural das populações negras, do outrora chamado Terceiro Mundo, diante da pressão globalizante, sinônimo evidente de aculturação.

kudurista Makanaki, dançando numa das ruas de calçada

kudurista Makanaki, dançando numa das ruas de calçada

 

5 Comentários para “ Kuduro, da periferia de Luanda para Salvador ”

  1. [...] kUDURO, DE PERIFERIA DA LUANDA PARA SALVADOR [...]

  2. [...] kUDURO, DE PERIFERIA DA LUANDA PARA SALVADOR [...]

  3. ESSA DANÇA É DE MAIS PARABENS QUEM A INVENDOU
    VCS AI DANÇA MUITO BEM PARABENS PRETOS LINDOS DE SALVADOR

  4. acho lindo vcs dançando kuduro e tarrachinha!!!
    é muito legal bem diferente….
    acho massaaaaaaaaa!!!

  5. usurped@nauseated.freeways” rel=”nofollow”>.…

    ñïàñèáî!!…

Deixe um Comentário

Pode usar estas tags XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <blockquote cite=""> <code> <em> <strong>